Palavras ao Vento Literatura

sábado, 5 de setembro de 2015

O VERBO - TRABALHAR

https://wilheimrod.files.wordpress.com/2010/12/charge_un183.jpg?w=614


O VERBO - TRABALHAR

Eu trabalho porque é o dever do escravo,
Que não tem opção entre as leis do cão,
Meus pulsos rasgados pelas marcas dos cravos,
Ditando a regra imposta pelo Leão.

Tu trabalhas em suas atitudes ocultas,
Entre os bandidos, altas prostitutas,
Cegos pela mão que balança a balança,
Tocando a ópera em que tu danças.

Ele não quer saber se você pode ou não,
Melhor encher a cara na cachaça da ilusão,
Não haverá em seu coração uma lágrima feliz,
Ele vai dizer que tem que morrer pelo país.

Nós aprendemos a ser escravos do capitalismo,
Que nos presenteia novamente com o consumismo,
Espelhos de uma sociedade escrava da inocência,
Entre a educação falida e a apologia à violência.

Vós que estais do outro lado da cerca farpada,
Não se animem em achar que existe felicidade,
Enquanto dormem em cima da espada,
Sonhando com as maravilhas da cidade.

Eles sabem de sua condição, do seu dever,
Querem seu sangue, querem te conter,
Não pense! Não se iluda! Apenas sonhe acordado,
Porque sonhos ainda não pagam a miséria do condenado.

Elder Prior