Palavras ao Vento Literatura

terça-feira, 22 de março de 2016

CAMISETA VERMELHA


CAMISETA VERMELHA

Tenho uma Camiseta Vermelha,
presente de minha Querida Mãe,
Ela já não esta mais aqui este nosso plano,
muito provavelmente onde Ela esta ,
não há a mínima preocupação com qualquer soberano.

Mas a Camiseta vermelha que Ela me deu,
já não arisco mais usa – la,
tenho medo de ser agredido por algum
ignóbil fariseu .

Tempos de cólera,
já não há mais a saudável troca de ideias,
estamos entrando um Tempo de Trevas.

A pratica agora são com as cores das discórdia,
um se diz vermelho, outro se diz azul,
outros verde amarelo,
tá formado o caldo de cultura para que não haja concórdia.

Estamos entrando em tempos tenebrosos,
infelizmente em um vicioso ciclo rancoroso.
A imposição prevalece sobre a Razão,
não há comiseração.

Tal situação, ira nos levar a incapacitação,
para qual mínima moderação.

Minha Camiseta Vermelha, ficara guardada,
muito por ter sido presente de minha Querida Mãe.
E porque é melhor mesmo não usa – la.

Ter convicções políticas é saudável,
mas desde que haja condições de diálogo.
Sem que haja exacerbação,
mas não tenho ilusão que tal situação
ocorra para que fique estável,
a cólera ira se tornar irremediável.

Guardem suas camisetas, vermelhas, azuis
e ou verde amarelas,
melhor mesmo usar uma camiseta branca,
mas eu vou preferir usar uma de cor violeta,
que é o equilibro entre o vermelho e o azul,
pra tentar melhorar um pouco esse nosso
pedaço do Planeta.


( 22/03/2016 )