Palavras ao Vento Literatura

domingo, 8 de novembro de 2015

Como entender essas mulheres?

— Márcia, por que fizeste desse jeito?
— Talvez impulso ou vingança. Alberto, você me provocou.
— Quando e como provoquei você?
— Ah, coitadinho..., você não sabe? Você nunca sabe de nada!
— Desconheço o motivo que fez você se desestabilizar desse jeito.
— Quer saber? Foi o jeito de você olhar pra Júlia.
— Como assim? Tá louca?
— Pensa que não observei aquele olhar que há muito tempo não vejo olhando pra mim.
Nesse momento, Alberto balança a cabeça e com um sorriso irônico estende os braços e diz:
— Venha aqui, me dê um abraço e um beijo.
Márcia, com olhar discreto, acaricia seus próprios cabelos, simula aproximar-se e distancia-se..., fitando-o, exclama:
— Alberto, sabe onde você erra em nossa relação?
— Sei, Márcia! Em amar e desejar você com toda minha emoção.
— Negativo! Você erra em não querer forçar a roubar um beijo meu.
Alberto a observa sem comentar nada. Márcia usando um vestido preto que realça sua silhueta fez questão de sentar ao sofá, levanta dois palmos acima do joelho e acaricia seus seios.
Alberto observa e comenta:
— Acho que você bebeu demais por hoje, Márcia. Vá tomar um banho gelado.
Nisso, retira-se da sala, vai até a cozinha, pega o liquidificador e grita:
— Quer vitamina de mamão, aveia e leite?
Segundos de silêncio total na casa. Logo depois, sequência de portas batendo.